Saiba como não errar na hora de escolher os palestrantes para o evento da sua empresa

A escolha do tema e dos palestrantes para o evento de sua empresa – seja ele uma conferência, um seminário ou uma palestra expositiva – é um fator que interfere diretamente nos resultados do evento.

Essa é uma etapa importante da organização, pois, independentemente do tamanho do evento, a qualidade das palestras determina o grau do sucesso. Por isso, é preciso cautela para analisar inúmeros fatores e escolher os palestrantes mais alinhados com o tema, as diretrizes e os valores praticados pela sua empresa.

Mas, antes de tratar dos pontos que devem ser observados para a escolha dos palestrantes, é preciso mostrar como deve ser feita a escolha do tema da palestra ou de todo o evento:

# Defina o objetivo do evento;
#Qual a mensagem você quer que os colaboradores levem da palestra?;
# Escolha temas simples e diretos, para que a mensagem seja a mais clara possível;
# Não desvirtue dos valores da empresa;
# Conheça o público-alvo e, se possível, pergunte aos participantes sobre os assuntos mais relevantes para eles;

COMO ESCOLHER OS PALESTRANTES DE UM EVENTO EMPRESARIAL?

Sabemos que é impossível agradar “a gregos e troianos”, no entanto, é necessário que os palestrantes sejam bem vistos pela maioria das pessoas presentes. Por isso, é importante conhecer o perfil do público. Em eventos de classe, nos quais o público faz parte da mesma corporação ou área de atuação, é possível oferecer palestras mais técnicas, que abranja conhecimentos restritos àquele público. Já em eventos maiores e abertos, que envolvam pessoas de
profissões e idades diferentes, o palestrante deve tratar de temas mais genéricos.

Do mesmo modo, o público-alvo determina o grau de formalidade necessário para a palestra: um público mais velho, formado por diretores e CEOs, por exemplo, prefere uma palestra sem tantas piadas ou assuntos externos, já um público mais jovem vai sair mais satisfeito de uma palestra mais informal. Porém, um pouco de senso de humor é sempre bem-vindo a todos os públicos.

Além de senso de humor, e, obviamente, do conhecimento a respeito do tema abordado, é desejável que o palestrante tenha jogo de cintura para lidar com perguntas que possam fugir do “script” e que tenha amplos conhecimentos gerais, a fim de dar exemplos e facilitar a compreensão do assunto.

O tom adotado, mesmo em palestras mais formais, não deve – nunca – ser monótono. Palestrantes que utilizam multimeios (vídeos, fotos, músicas, livros etc.) costumam prender mais a atenção do público, tornando a palestra mais atrativa.

Outro ponto a ser observado é a originalidade e a capacidade de recriar abordagens a respeito do assunto tratado. Isso faz muita diferença, principalmente, em palestrantes mais famosos, pois as chances de os participantes já terem visto (presencialmente ou virtualmente) alguma palestra com eles é bastante grande. Logo, se o palestrante não for criativo, pode entediar o público com exemplos, piadas e abordagens já conhecidas.

Procure saber, ainda, se o palestrante é pontual, se chega ao local do evento na hora marcada e se cumpre o tempo de fala para o qual foi contratado. Em eventos maiores, nos quais acontece uma sequência de atividades, é importante que as palestras terminem no horário combinado para que não estrague a programação. Do mesmo odo, ninguém quer pagar por uma hora de palestra e receber uma fala de 30 minutos.

Por fim, analise o cachê e os gastos com hospedagem, transporte e alimentação, que sempre ficam a cargo do contratante e escolha o profissional que ofereça o melhor custo-benefício.

Vale lembrar que nem sempre o palestrante mais caro e badalado é o ideal para seu evento e público. Avalie o conhecimento e a forma de apresentar os temas propostos. Geralmente, é possível conhecer o trabalho dos palestrantes via YouTube ou por meio de portfólios on-line.