bagagens em aeroportos

Cuidados com a segurança de bagagens em aeroportos

Antes da pandemia de covid-19, as medidas de segurança com bagagens em aeroportos se restringiam aos cuidados com identificação das malas e outras providências para que a bagagem não fosse violada. Hoje, falar de segurança nos aeroportos significa, também, incluir os protocolos de higiene para prevenir o contágio por coronavírus – entre elas, a necessidade de distanciamento social  pode refletir na segurança da bagagem.

Leia mais: Como higienizar corretamente sua mala e evitar a contaminação por coronavírus

Para evitar incômodos, prejuízo e contratempos com furto ou extravio de sua bagagem, é preciso prestar atenção em alguns pontos e manter-se alerta quando estiver longe de seus pertences durante o desembarque.

COMO MANTER SUA BAGAGEM SEGURA 

Cuidados antes de sair de casa (ou do hotel)

- Evite malas caras, de marcas famosas, pois bandidos partem do pressuposto de que haverá mais objetos de valor dentro delas; 

- Malas pretas com rodinhas são as mais comuns, por isso é mais fácil que um bandido passe despercebido após furtar um modelo assim. Para evitar que isso aconteça, considere usar malas mais chamativas, colar um adesivo colorido ou fazer alguma intervenção para que sua mala seja única e chame atenção; 

- Coloque os objetos valiosos no fundo da mala. Bandidos precisam agir rapidamente e acabam furtando o que está em cima ou nos bolsos; 

- Guarde objetos de valor em embalagens que não chamem atenção, como caixas de bombom ou bolsa térmica; 

- Identifique sua bagagem com nome, telefone e cidade onde reside (mas evite colocar o endereço completo), assim, caso a mala seja extraviada ou alguém a leve por engano, será mais fácil de devolver;

- Quando for despachar produtos eletrônicos de valor, fotografe-os antes. Isso é importante para comprovar o valor da bagagem caso seja necessário acionar o seguro mover uma ação judicial. Para produtos adquiridos durante viagem, leve as notas fiscais na bagagem de mão;

- Tire da caixa os produtos comprados durante a viagem, mesmo que sejam presentes, pois alguns bandidos roubam somente produtos com caixa e etiqueta;

- Joias,  notebooks, dinheiro, cartão de crédito e outros objetos de valor não devem ser despachados;

- Sempre que possível, viaje em voos diretos. As chances de extravio e de furto de bagagem são maiores em conexões e escalas. 

Cuidados dentro do aeroporto

- Mantenha-se atento às determinações de distanciamento social, mas não fique longe de sua bagagem e evite distrações; 

- Ao despachar sua mala, faça a declaração de valor dos objetos. Guarde a cópia dessa declaração até o fim da viagem; 

- Se possível, plastifique a mala ou utilize capas de segurança. Cadeados e lacres podem ser violados sem que você perceba de imediato;

- Quando possível, pegue sua mala na esteira rapidamente e, mesmo se for necessário manter distância, fique de olho nela todo o tempo;

- Despache a bagagem assim que chegar ao aeroporto, além de ser mais seguro, é mais prático;

- Certifique-se de que sua mala foi identificada para o destino correto;

- Ao pegar sua mala na esteira de desembarque, abra-a imediatamente e confira se todos os seus pertences estão nela. As empresas aéreas não aceitam reclamações após o passageiro deixar a sala de desembarque;

- Se perceber algum sinal de violação ou sentir falta de seus pertences, preste queixa imediatamente.

Por fim, para ter uma viagem tranquila, é fundamental escolher um hotel de confiança, que ofereça conforto e segurança durante toda a estadia. 

bagagens em aeroportos

higienizar a mala

Como higienizar corretamente sua mala e evitar a contaminação por coronavírus

Entre todos os setores atingidos pela pandemia de covid-19, o turismo (de lazer e de eventos) está entre os que mais sofreram restrições. Mesmo assim, algumas viagens são necessárias e continuam acontecendo, com algumas alterações, principalmente com relação à higienização dos espaços e ao distanciamento social.

Ainda não há muitas certezas a respeito do novo coronavírus, mas já se sabe que, devido à sua estrutura, ele se rompe quando em contato com sabão ou outras substâncias desinfetantes, como álcool 70%. Por isso, é indicado que pessoas que precisam continuar viajando durante a pandemia redobrem os cuidados com a higienização de malas e outros objetos utilizados no deslocamento.

A seguir, explicamos algumas medidas eficientes de higienização de malas e pertences. Essas medidas devem ser tomadas sempre que você chegar no hotel ou em casa. Por isso, escolha hotéis que ofereçam acomodações e serviços de acordo com as determinações dos órgãos de saúde.

Em Florianópolis, conte com a segurança do Faial Prime Suites! Nossa estrutura é constantemente higienizada e toda a operação segue protocolos de segurança em distanciamento social, higiene, monitoramento e comunicação.

Como higienizar a mala?

A limpeza da mala depende do material de que ela é feita. Malas rígidas, de policarbonato, podem ser limpas com água e sabão. Já as forradas com tecido ou couro devem ser higienizadas conforme orientação do fabricante. A maior parte dos tecidos aceita a aplicação de álcool 70%, no entanto, é preciso certificar-se antes de aplicar para não danificar o material. De todo modo, o coronavírus permanece em superfícies plásticas por até 48 horas, em outros materiais, a vida média é de 24 horas, sendo que nas primeiras sete horas, metade do vírus é eliminada das superfícies. Na impossibilidade de higienizar a mala, é recomendado deixá-la de quarentena por dois dias.

Como limpar objetos trazidos dentro da mala?

Segundo infectologistas, as chances de os objetos dentro de uma mala que foi despachada estarem contaminados é praticamente nula, pois o filtro HEPA, utilizado para filtrar o ar nas aeronaves é bastante eficiente contra vírus. O maior risco de contaminação está nos objetos que são manipulados durante a viagem. Mesmo assim, é possível passar um pano com álcool 70% na carteira, nos documentos, nos cartões de crédito, nos fones de ouvido (utilize uma haste de algodão para desinfetar dentro, no caso de fones intra-auriculares) e no celular. As roupas podem ser lavadas normalmente, embora não seja necessário higienizar as que estiverem dentro da mala.

Posso usar almofada de pescoço e máscara para dormir?

Sim. No entanto, o uso desses objetos não é recomendado durante a pandemia. Se for necessário, não divida esses objetos com outras pessoas (mesmo da família) e considere sempre que estão contaminados, evitando seu contato direto com o nariz e a boca e guardando os objetos em uma embalagem plástica após o uso. Higienize a embalagem. Tanto a almofada quanto a máscara de dormir devem ser lavadas com água e sabão, em uma lavagem comum na lavadora de roupas.

Posso consumir bebidas e alimentos trazidos na viagem?

Se os alimentos e bebidas estiverem embalados, basta higienizar a embalagem e lavar bem as mãos antes de consumi-los.

Lembre-se de levar máscaras de proteção extras durante a viagem e a sua estadia. Elas são de uso individual e devem ser utilizadas nas ruas ou em áreas comuns de hotéis e outros estabelecimentos.

viagem de carro

Dicas para planejar e aproveitar uma viagem de carro pelo Brasil

Viajar de carro pelo Brasil é uma opção econômica e que permite aproveitar melhor os companheiros de viagem, sejam familiares, parceiro (a) ou amigos, e conhecer lugarejos em que a gente não iria se viajasse de avião. Quem costuma viajar de carro pelo país, geralmente valoriza a liberdade e as surpresas que o caminho proporciona. Cair na estrada pode ser o começo de uma viagem inesquecível. Porém, é preciso tomar alguns cuidados para que a diversão não vire um pesadelo.

Planejamento é a palavra-chave de uma viagem tranquila e segura. E tudo começa com a revisão e manutenção do veículo, e a checagem da documentação. Com tudo certo, é hora de pensar no trajeto, na hospedagem e nos passeios.

Enquanto o Brasil (e demais países) estiver sob alerta por causa da pandemia de coronavírus, é importante redobrar os cuidados, principalmente durante as paradas, evitando lugares com muitas pessoas e utilizando serviços ou
consumindo produtos de lugares de confiança, que prezem pela higienização das instalações conforme indicação dos órgãos de saúde.

COMO APROVEITAR UMA VIAGEM DE CARRO COM SEGURANÇA E DIVERSÃO

Com estas dicas e muita vontade conhecer novos lugares, sua viagem de carro tem tudo para ser perfeita.

Crie um roteiro realista

Considere a estrada, como parte do passeio. Aproveite todos os momentos, mesmo durante o trajeto. Uma boa playlist ajuda a tornar o caminho mais agradável.

Crie um roteiro que permita passar mais tempo em uma cidade, caso você e os demais passageiros desejem. A flexibilidade é uma das vantagens de viajar de carro. Às vezes, desbravar o entorno do destino final é mais interessante que conhecer a própria cidade.

Escolha a maior cidade da região para servir de base. Isso evita trocar muitas vezes de hotel e perder tempo com fazer malas e outras burocracias. Assim você pode passear em cidades próximas durante o dia e voltar para o hotel à noite.

Prefira trechos curtos

Trechos longos tendem a ser cansativos. Mesmo quando a paisagem é bonita, e os motoristas se revezem no volante, viajar por muitas horas atrapalha o passeio, pois quando chegarem ao destino, provavelmente precisarão de muito tempo para descansar.

Faça paradas para lanches e, se for preciso, passe a noite em um hotel no meio do caminho. Novamente, aqui, o planejamento é fundamental: conheça as opções de hospedagem e de alimentação da região e escolha a que mais combina com seu estilo e orçamento.

Considere passar por estradas menores

Como já foi dito, o caminho é parte importante de uma viagem de carro. Para conhecer diferentes paisagens e vilarejos, faça desvios da rodovia principal, rodando por estradas menores ou rotas alternativas.

Separe dinheiro para os pedágios

A maior parte das rodovias brasileiras é operada por consórcios privados, que cobram pedágios para manter a manutenção das vias. Saiba quantas praças de pedágio há durante o trajeto (considere ida e volta) e quais os valores. O ideal é levar o valor em notas pequenas, para facilitar a operação.

Pesquise sobre as condições de trânsito das cidades

Algumas cidades, principalmente os grandes centros urbanos, não são muito amigáveis com motoristas de fora. O trânsito de São Paulo, por exemplo, pode ser bastante confuso para quem não está acostumado.

Para evitar acidentes ou outros problemas, estude as condições de trânsito e evite dirigir em horário de pico.

Saber como é a oferta de estacionamento na cidade de destino também é uma maneira de evitar prejuízo.

O GPS é o copiloto de quem viaja de carro. Tenha sempre um aparelho de GPS confiável e com bateria carregada.

Considere o tempo de deslocamento

Além de considerar a distância e o tempo médio, o cálculo de tempo na estrada deve ser feito com base nas condições da estrada e na velocidade média permitida em cada trecho.

Cuide dos pertences dentro dos carros

Durante as paradas, tenha cuidado com malas e outros pertences deixados no carro. Evite parar em locais muito ermos e leve consigo dinheiro, cartões de crédito, documentos e objetos de valor.

Tenha à mão o contato dos hotéis reservados

Alguns hotéis cancelam as reservas após às 18 horas. Em caso de atraso em função do trânsito, é recomendado ligar para o hotel e avisar que está a caminho. Assim, você não corre risco de ficar sem ter onde passar a noite.

viagem de carro

Conhecendo Florianópolis: O que fazer no norte da Ilha

Florianópolis é uma cidade que impressiona e surpreende tanto quem a conhece profundamente quanto quem passa em um passeio rápido. E o norte da Ilha de Santa Catarina é parada obrigatória para quem vive aqui e para turistas, independentemente da idade.

A região que compreende bairros entre as praias de Cacupé e do Santinho tem ganhado fama além das belezas naturais e das atrações de verão, pois concentra grande parte das empresas de tecnologia em locais como o Sapiens Park, que renderam a alcunha de "Vale do Silício Brasileiro” à capital catarinense.

Quando estiver em Floripa, a trabalho ou a passeio, reserve ao menos um dia para aproveitar o norte da Ilha!

PRAIAS, AVENTURAS E HISTÓRIA: DICAS E PASSEIO NA REGIÃO
NORTE DE FLORIANÓPOLIS

Cacupé, Santo Antônio de Lisboa, Sambaqui, Daniela, Forte, Jurerê Internacional, Jurerê, Canasvieiras, Pontas das Canas, Lagoinha, Brava, Ingleses e Santinho são as praias que formam o norte da Ilha.

Cada uma apresenta características próprias de mar, faixa de areia, vegetação e público, e todas possuem atrações que podem ser aproveitadas o ano todo. Conheça alguns passeios imperdíveis no norte da Ilha de Santa Catarina.

Praia do Forte e Fortaleza de São José a Ponta Grossa

A pequena praia de areia fina e mar calmo, ideal para família com crianças e pessoas que buscam um programa mais tranquilo, sem a badalação da vizinha Jurerê Internacional, recebeu o nome de Praia do Forte por abrigar a Fortaleza
de São José da Ponta Grossa.

A Fortaleza é uma das pontas do triângulo de fortificações construídas para proteger a Ilha de Santa Catarina dos ataques dos espanhóis durante o Brasil colonial. A obra foi concluída em 1744 e, hoje, é tombada como Patrimônio
Histórico e Artístico Nacional, em 1938, que começou a receber pequenas obras de restauração.

O acesso à Fortaleza de São José da Ponta Grossa pode ser feito pela praia, a pé, ou pela única rua que liga Jurerê Internacional à Praia do Forte. Os visitantes podem ver de perto as construções do século XVIII, como a Bateria de São Caetano, formada por canhões que, reza a lenda, nunca deram nenhum tiro; o quartel da tropa; a casa do comandante; o paiol de pólvora – hoje transformado em acervo de fotografias e documentos –; a capela de São José; e a bica d’água. Do alto, tem-se uma vista de tirar o fôlego das praias do Forte até Jurerê .

Para saber mais sobre dias e horários de visitação, contatar o Projeto Fortalezas da Ilha de Santa Catarina, pelos telefones (48) 3721-8302 e (48) 3721-5118.

Museu Arqueológico ao Ar Livre – Praia do Santinho

Uma das praias mais famosas da região, a Praia do Santinho, abriga um tesouro de valor histórico incalculável. Trata-se de uma série de inscrições rupestres (petroglifos), que documentam a existência de civilizações pré-históricas que habitaram a Ilha há aproximadamente de cinco mil anos.

O museu a céu aberto é uma viagem no tempo. Por uma passarela entre o rochedo e o mar, os visitantes podem observar em segurança detalhes de dezenas de figuras e estruturas pré-históricas.

Santo Antônio de Lisboa

Um dos lugares mais queridos dos moradores de Florianópolis, Santo Antônio é um berço de história, gastronomia e tem, ainda um pôr do sol impressionante, a apenas 15 quilômetros do Centro.

Vale a pena reservar um dia para provar delícias da culinária açoriana em um restaurante na beira da praia e passear entre as lojinhas de artesanato e a Feira das Alfaias, que acontece na Praça Roldão da Rocha Pires, marco da antiga Freguesia de Nossa Senhora das Necessidades.

O lugar onde hoje é a praça foi a primeira rua calçada da então Nossa Senhora do Desterro, e enfim recebeu as pedras do calçamento para receber o imperador Pedro II e a imperatriz Teresa Cristina – que por fim ficaram hospedados em uma construção que, atualmente, abriga um restaurante.

Do lado de Santo Antônio fica o bairro / praia do Sambaqui. Lugar igualmente bonito e hospitaleiro, com rica via gastronômica e casas noturnas que fervem ao som de rodas de samba aos domingos.

Jurerê Internacional

A praia mais famosa e badalada de Florianópolis é parada obrigatória para quem não abre mão de uma boa festa. Durante o verão, os bares na beira da praia recebem milhares de visitantes que se dividem entre paquera, pista de dança, drinks e banhos de mar. À noite, em todas as estações, restaurantes de alta gastronomia e casas noturnas fervem em festas que atraem famosos do Brasil e do mundo.

Mas quem quer aproveitar a praia a dois ou em família também tem um lugar ao sol nas areias e no mar esmeralda de Jurerê Internacional, principalmente no lado mais próximo à sua vizinha e quase homônima Jurerê.

Trilha do Morro da Feiticeira

Para os mais aventureiros, o norte da Ilha possui alguns caminhos para serem desbravados a pé. Como recompensa, oferece paisagens únicas. A trilha do Morro da Feiticeiras, entre a Praia Brava e os Ingleses é um desses caminhos.

[Leia mais: Trilhas de Florianópolis: Um jeito diferente de conhecer a cidade]

Ao longo de cerca de dois quilômetros, os trilheiros se aventuram por rochas, vegetação nativa e trechos de solo movediço. Embora seja bem sinalizado, o caminho é bastante íngreme, ou seja, requer conhecimento básico sobre trilhas e algum preparo físico.

 

 

Drinks pelo mundo: Uma viagem pela tradição e sabores de bebidas típicas de países dos 5 continentes

Enquanto ainda temos fronteiras fechadas ou restrições a viagens por conta da pandemia de covid-19, é possível encontrar maneiras de explorar a cultura de diversos países mantendo-se em casa, em segurança. Já falamos aqui dos passeios virtuais por museus do mundo inteiro. E também demos dicas de filmes que são inspirações para quem ama viajar. Hoje vamos viajar por países dos cinco continentes do mundo através dos sabores de drinks preparados com bebidas típicas.

Anote nossas dicas e aproveite! Mas, lembre-se de beber com moderação!

ÁFRICA

África do Sul: A bebida típica desse país é o licor de marula (feito com creme de leite e suco do fruto da maruleira). Embora seja preparado de maneira diferente, seu sabor é bastante semelhante ao da Amarula, disponível nos mercados brasileiros.

Nigéria: Diferentemente do sabor adocicado do licor de marula da África do Sul, os nigerianos apreciam mesmo o gosto forte do Alomo Bitters (fabricado em Gana). A bebida é feita à base de extratos vegetais e, embora não seja encontrada com facilidade fora do continente africano, é possível substituí-la por outro bitter (como o Jägermeister e a Angostura no preparo de drinks).

AMÉRICA

México: Falando em bebidas típicas, não poderia faltar ela: a famosa tequila. É destilado do agave-azul, planta comum da cidade de Tequila (que dá nome à bebida). Embora tenha alto teor alcoólico (cerca de 40%), a tequila possui um sabor agradável e pode ser ingerida de diversas maneiras.

Cuba: De aroma e sabor suaves, o rum é uma bebida destilada do melaço de cana-de-açúcar. Pode-se dizer que é um “parente” distante da cachaça brasileira. Bastante versátil, é ingrediente para inúmeros drinks famosos em todo o mundo.

Peru e Chile: O pisco é a bebida alcoólica mais tradicional desses países que, inclusive, têm certa rixa para saber quem inventou e quem faz o melhor pisco. Trata-se de um aguardente de uva, que pode chegar a 40% de graduação
alcoólica e é considerado um patrimônio histórico, cultural e produtivo das regiões de Atacama e Coquimbo.

ÁSIA

Japão: O saquê é uma bebida à base de arroz e com sabor delicado que, há algum tempo, vem ganhando o paladar dos brasileiros, sendo usado, inclusive, em variações da tradicional caipirinha.

Irã: Como na maior parte dos países árabes muçulmanos, no Irã, o consumo de bebida alcoólica é proibido. Mas isso não impede os árabes de apreciarem bebidas deliciosas, como o tradicional doogh, uma bebida refrescante que tem
como ingrediente principal o iogurte.

EUROPA

Grécia: O ouzo é uma aguardente extremamente perfumada, preparada a partir da fermentação do anis. Sua criação é atribuída a monges do Monte Athos, no século XIV. Quando misturada com água (ou gelo), o ouzo deixa de ser transparente e torna-se esbranquiçado.

Espanha: De origem espanhola, a sangria também faz parte das bebidas típicas e é consumida em diversos países. Bastante fresca e agradável ao paladar, é feita com base numa mistura de vinho tinto ou vinho branco, suco e pedaços de frutas e açúcar.

OCEANIA

Polinésia Francesa: O rum é uma das bebidas mais consumidas nas ilhas que formam a Polinésia Francesa, como Taiti e Bora Bora. A bebida é combinada com frutas em coquetéis refrescantes e muito saborosos, como o Mai-Tai.

Austrália: O povo australiano gosta muito de cerveja e há cervejas australianas conhecidas no mundo inteiro. A preferência é pelas mais encorpadas, de sabor marcante, como a Victoria Bitter. Mas, nos dias mais quentes, a cider – fermentado de maçã, como uma espécie de sidra – misturada com frutas é que faz sucesso no país dos cangurus.

 

Faial Prime Suites conquista o Selo de Certificação Tourqual de excelência em serviços e experiências turísticas

Com a preocupação de oferecer os melhores serviços e experiências aos clientes e hóspedes, o Faial Prime Suites foi contemplado, neste mês, com o Selo de Certificação Tourqual de excelência em serviços e experiências turísticas.

Essa certificação atesta a integridade, o comprometimento, a inovação e os cuidados de todas as equipes do Faial nos serviços prestados durante a estadia (desde a reversa até o cheque-out). Além disso, atesta a responsabilidade socioambiental – sustentabilidade – e, mais recentemente, o empenho no combate à covid-19.

Para a chancela do Selo Tourqual, O Faial Prime Suites precisou passar por um rigoroso processo de mensuração da qualidade. O protocolo utilizado para a certificação em excelência em serviços e experiências turísticas alia teoria e
prática e foi desenvolvido com base em metodologias científicas. São mais de cem indicadores, divididos nas seguintes categorias: Acesso, Ambiente, Segurança, Elemento Humano, Qualidade Técnica e Experiência.

SAIBA MAIS SOBRE A CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE TOURQUAL

O Tourqual é uma empresa de consultoria que desenvolveu um sistema de protocolos a fim de avaliar e atestar a qualidade e o desenvolvimento de serviços e experiências. Atualmente existem 4 serviços (cliente oculto, gestão da pesquisa de avaliação, análise dos comentários online e consultoria) nas seguintes áreas: destinos e atrativos turísticos, restaurantes, hotéis, eventos, cervejarias e vinícolas.

Atualmente, a certificação Tourqual é a ferramenta mais utilizada no Brasil para diagnóstico da qualidade no turismo. Desde seu lançamento, 1400 empresas avaliadas segundo o protocolo desenvolvido pela empresa, cerca de 60 mil turistas foram ouvidos e mais de 2,2 milhões de comentários on-line foram analisados.

BENEFÍCIOS DA CERTIFICAÇÃO TOURQUAL PARA OS CLIENTES DO FAIAL PRIME SUITES

Além de atestar a qualidade dos serviços, como acesso, acessibilidade, ambiente, segurança, higiene das instalações, capacidade técnica da equipe e outros fatores que determinam uma ótima experiência durante a estadia, os indicadores Tourqual permitem determinar com mais facilidade ações de melhoria. Desse modo, a Certificação traz segurança e confiança aos clientes na tomada de decisões.

O Faial Prime Suites entende que, no cenário atual, é indispensável manter suas atividades de acordo com as determinações de órgãos municipais, estaduais ou nacionais e, ainda, se diferenciar – seguindo protocolos internacionais que atestam a excelência dos serviços prestados.

Com isso, os clientes Faial podem contar com o alto padrão de qualidade para usufruir de uma estadia confortável e segura para que possa aproveitar tudo que Florianópolis oferece de melhor.

Passeio virtual: Conheça 7 importantes museus do mundo sem sair de casa

Enquanto precisamos nos manter em isolamento social o máximo possível, e o turismo ainda não é uma atividade segura, por conta da pandemia de covid-19, precisamos buscar maneiras de nos divertir e manter a mente ativa. E a arte é uma excelente fonte de lazer e de conhecimento. Sabendo disso, centenas de museus e galerias em todo mundo abriram, virtualmente, suas portas, para que seja possível conhecer seus corredores e a riqueza de suas obras através de um clique.

Além dos sites dos próprios museus e galerias, o Google Arts&Culture funciona como uma fonte quase infinita de passeios on-line. É uma ferramenta perfeita para quem deseja conhecer pinturas, esculturas, performances e instalações de artistas de todas as épocas e movimentos artísticos. Seja presencial ou virtualmente, um passeio por um museu é uma experiência enriquecedora para adultos e crianças. E os acervos on-line ajudam, ainda, a traçar o roteiro das próximas viagens.

7 MUSEUS PARA VOCÊ CONHECER VIRTUALMENTE

Museu do Louvre (Paris, França)

O Museu do Louvre é, provavelmente, o mais famoso do mundo e está na lista de desejo de todos os viajantes. E não é para menos! Além da obra-prima de Leonardo Da Vinci, Mona Lisa (datada de 1503), e de outras pinturas do mestre italiano, como a Virgem dos Rochedos (1495) e A Virgem, Santa Ana e o Menino Jesus (1503), é possível visitar obras que contam a história da arte mundial. Entre elas, citamos a Vênus de Milo (101 a.C.), a Vitória de Samotrácia (109 a.C.) e a impressionante A Liberdade guiando o povo (1830), de Eugène Delacroix.

A concorrida galeria de antiguidades egípcias também está aberta à visitação on-line. Os visitantes virtuais podem conhecer grande parte dos corredores e salões do palácio que abrigou a monarquia antes da Revolução Francesa e aproveitar para ver em detalhes as obras e o mobiliário – e sem precisar disputar espaço com as mais de 25 mil pessoas que visitam o local diariamente.

Museu Nacional de Antropologia (Cidade do México, México)

O Museu Nacional de Antropologia é uma das principais atrações da Cidade do México e parada obrigatória para quem visita aquele país. O museu tem um acervo de peças pré-colombianas (antes da descoberta das Américas por Cristóvão Colombo) único no mundo.

Os grandes destaques do museu estão na sala dos povos mexicas (como os mexicanos chamam os astecas). Nessa sala está a Pedra do Sol (esculpida em algum momento entre 1502 e 1521), popularmente conhecida como Calendário Asteca, em meio a esculturas que representam os deuses de Teotihuacán, e inúmeros crânios e máscaras mortuárias dos povos primitivos da América Central.

Galeria Uffizi (Florença, Itália) 

Florença é o berço do Renascimento, importante movimento artístico italiano que tem como principais representantes os gênios grandes gênios Botticelli, Leonardo da Vinci, Michelangelo e Rafaello. Na Galeria Uffizi encontram-se obras desses artistas, como pinturas e esculturas feitas entre os séculos XII e XVII. As atrações principais da Galeria são os quadros A primavera (1492) e O nascimento de Vênus (1486), de Sandro Botticelli. A famosa Medusa (1597), de Caravaggio, também faz parte do rico acervo da Uffizi.

Museu da Acrópole (Atenas, Grécia) 

Visitar o Museu Arqueológico de Atenas é como estar em um capítulo fundador da cultura, da arte e da civilização ocidentais. O moderno prédio do Museu está localizado em um complexo que abriga as ruínas da Acrópole de Atenas e tem no acervo peças originais da Grécia Antiga, a cabeça de Alexandre Magno. Além disso, tem cinco Cariátides originais do templo de Erecteion, do período jônico (XI a.C.). As Cariátides eram colunas esculpidas em forma de figuras femininas cujas cabeças sustentavam uma construção.

Museu Nacional de História Natural (Washington DC, Estados Unidos)

O acervo do Museu Nacional de História Natural de Washington conta com nada menos que 126 milhões de espécimes e artefatos de todas as eras geológicas da Terra, desde muito antes da existência dos seres humanos até os dias atuais. Esqueletos e réplicas de mamutes, dinossauros, baleia azul e outros animais gigantes surpreendem os visitantes.

A interatividade é uma marca registrada desse museu e, na versão on-line, é possível percorrer todos os corredores e clicar nas peças para vê-las mais de perto. Há, ainda, visualização em 360º e em realidade virtual de alguns objetos.

Museu de Arte de São Paulo - MASP (São Paulo, Brasil) 

Um dos principais museus brasileiros, o MASP é também um marco da arquitetura e um cartão-postal da cidade de São Paulo. O prédio, projetado por Lina Bo Bardi, é famoso pelos seus quatro pilares vermelhos que apoiam, sobre grande famoso vão livre (de 74 metros) o prédio modernista de vidro e concreto aparente.

O MASP possui galerias de exposições temporárias e um acervo – disponível on-line - com obras fundamentais dos brasileiros Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Anita Malfatti e Almeida Junior. Entre os artistas internacionais, enriquecem o acervo do MASP nomes como Rafaello, Botticceli, Delacroix, Renoir, Manet, Monet, Degas, Cèzanne, Picasso, Modigliani, Toulouse-Lautrec, Van Gogh, Matisse e Chagall.

Instituto Inhotim (Brumadinho, MG)

O Instituto Inhotim é uma área de 140 hectares de floresta e jardim botânico (com mais de cinco mil espécies, muitas ameaçadas de extinção). As obras são expostas em galerias de exposições individuais ou nos jardins, de forma permanente. O espaço conta, ainda, com galerias para exposições temporárias.

O Inhotim é um dos mais importantes museus de arte contemporânea do mundo, e seu acervo conta com mais de 700 trabalhos de 200 artistas. A proposta de interligar projetos artísticos e paisagismo, arte e natureza, faz do Inhotim um espaço único e uma referência internacional.

Os museus de Florianópolis ainda não possuem visitação virtual, mas você pode conhecer um pouco mais sobre a arte e a cultura florianopolitana no Blog do Faial Prime Suíte.

[Leia mais: Uma viagem pela história dos principais pontos turísticos do Centro de Florianópolis]

Uma viagem pela história dos principais pontos turísticos do Centro de Florianópolis

Embora as atividades hoteleiras já estejam liberadas após a suspensão das atividades em função do coronavírus, sabemos que o setor de turismo ainda precisará de alguns meses para se restabelecer completamente. Enquanto isso não acontece, que tal um tour virtual por alguns dos mais importantes pontos turísticos do Centro Histórico de Florianópolis?

CONHEÇA OS MARCOS HISTÓRICOS DO CENTRO DE FLORIANÓPOLIS

Mercado Público

O Mercado Público de Florianópolis é um patrimônio artístico, histórico e arquitetônico da Ilha de Santa Catarina. Ele foi construído no lugar em que comerciantes ilhéus montavas suas barracas entre os séculos XVII e XIX, e ali, vendiam diversos tipos de produtos, como frutas, verduras e legumes, carnes, leite e derivados, peças de cerâmica e outros utensílios, aves vivas e, claro, peixes. Esse comércio abastecia os navios que saíam da velha Nossa Senhora do Desterro e iam para o Oceano Pacífico, pelo Rio da Prata.

O primeiro mercado municipal começou a ser construído em 1848, mas por conta da má administração e por falta de verba, a obra ficou paralisada por dois anos, sendo concluída somente em 1851. Com o passar do tempo, o local ficou pequeno para o número crescente de comerciantes, que voltaram a montar barracas na parte externa do mercado, obrigando a construção de um segundo galpão, o “galpão do peixe”, em 1891. A partir daí, o Mercado Público passou por uma série de ampliações e reformas e somente na década de 1970, com o aterro da Baía Sul, o local ficou com a configuração que conhecemos hoje.

O Mercado Público é reduto de amantes da gastronomia e também é parada obrigatória para turistas que querem levar uma lembrança de Floripa para casa. O local, que abriga lojas de souvenir, empórios, cafés, sorveterias, inúmeras peixarias e restaurantes tradicionais, recebe milhares de pessoas, principalmente para o happy hour às sextas e para almoços aos sábados.

 

Largo da Alfândega / Casa da Alfândega

A Alfândega da antiga Desterro foi inaugurada em 1876 e, obviamente, servia como local de fiscalização de mercadorias que chegavam e saíam dos trapiches da Baía Sul Com o aterro, em 1970, o local ganhou uma praça bastante movimentada, onde, três vezes por semana, acontece uma feira de produtos coloniais, e que servia de palco para manifestações populares e apresentações culturais.

Recentemente, o Largo passou por uma grande reforma e foi completamente revitalizado, ganhou novo paisagismo, espelhos d’água que marcam o local onde o mar batia nos muros da Alfândega, e estruturas, como uma grande cobertura em forma de renda de bilro, em alusão ao tradicional artesanato manezinho. Se consagra agora como um dos principais pontos turísticos da capital catarinense.

A Casa da Alfândega abriga uma feira permanente de artesanato. O prédio está, atualmente, passando por um grande processo de reforma estrutural e deve ser reaberto em um até um ano.

 

 

Catedral Metropolitana

A Catedral Metropolitana de Florianópolis é um marco do povoamento definitivo da cidade, que começou em 1673, com um vilarejo onde, hoje, é a Praça XV e a Catedral. Em 1679, Francisco Dias Velho solicitou o título das terras e levantou a primeira igreja do povoado, dedicada à Nossa Senhora do Desterro. Em 1715, a igrejinha virou paróquia e, em 1773, a construção ganhou aspecto mais parecido com o que conhecemos hoje.

Além de sede da Igreja Católica na cidade, a Catedral Metropolitana abriga a importante escultura “Fuga para o Egito”, obra-prima entalhada à mão, em peça única, pelo artista tirolês Ferdinand Demetz. A torre do relógio foi instalada em 1897, para receber a peça vinda da Alemanha, assim como também é alemão o órgão de tubos Speith Orgelbau que, em solenidades especiais, acompanha o Coral Santa Cecília. Ao todo, a Catedral possui sete sinos – os dois mais antigos (que datam de 1872 e 1896) foram presentes de Dom Pedro II.

A poucos metros da Catedral está a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e de São Benedito dos Homens Pretos. Em estilo barroco, a igreja, inaugurada em 1830, era frequentada por escravos e, ainda hoje, guarda relíquias dos tempos da escravidão.

 

Praça XV de Novembro

Assim como a Catedral Metropolitana, a Praça XV de Novembro está localizada no marco zero da cidade. O jardim começou foi construído entre 1885 e 1887, e recebeu árvores do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. A mais famosa dela, a Figueira do centro da praça, chegou em 1891 (com cerca de 20 anos), ano em que a Praça XV
de Novembro foi inaugurada.

O local foi e é palco de diversos eventos religiosos, políticos, artísticos e culturais, como manifestações populares (a famosa Novembrada, em 1979, por exemplo) e ensaios abertos das escolas de samba da cidade (antes da inauguração da Passarela Nego Quirido, os desfiles das agremiações aconteciam em volta da Praça.

No dia a dia, é local de passagem de milhares de pessoas que trabalham ou moram no Centro, possui uma feira de artesanato, que acontece algumas vezes por semana e, geralmente, recebe uma atração musical em seu coreto nas manhãs de sábado.

 

 

Palácio Cruz e Sousa / Museu Histórico de Santa Catarina

Em meados do século XVIII, o brigadeiro José da Silva Paes foi nomeado o primeiro governador da recém-criada Capitania de Santa Catarina e, para sua residência, foi construída a “Casa de Governo”, hoje Palácio Cruz e Sousa, em homenagem ao principal porta simbolista brasileiro – e um dos mais importantes do mundo –, nascido em Desterro, em 1861, João da Cruz e Sousa.

Atualmente, a antiga “Casa Rosada”, outro importante ponto turístico de Florianópolis, é sede do Museu Histórico de Santa Catarina, e guarda os restos mortais do poeta, além de um rico acervo de móveis, objetos, fotografias e documentos que remontam importantes fatos políticos de Santa Catarina.

O acervo do museu é composto por móveis e objetos de época. Os aposentos reproduzem a rotina de quem vivia ali, com sala de música, de jantar, quartos e outros ambientes que fizeram parte da agitada história política de Santa Catarina. Os salões do Museu Histórico de Santa Catarina recebem importantes exposições de artistas catarinense de todas as épocas, além de concertos e performances artísticas.

Quando tudo isso passar, Florianópolis estará de braços abertos, como sempre, pronta para receber visitantes dos quatro cantos do mundo com toda hospitalidade e beleza, que já são marcas registradas da Ilha da Magia.

Conhecendo Florianópolis: Praias e cultura açoriana estão entre as atrações do sul da Ilha da Magia

A Ilha de Santa Catarina, que abriga parte da capital catarinense, Florianópolis, é rica em festas, cultura e, claro, belezas naturais! Nos quatro cantos, é possível encontrar paisagens de tirar o fôlego e atrações para todas as idades. O sul da Ilha da Magia se caracteriza pelas praias de mar grosso e aspecto selvagem e por recantos açorianos que enchem os manezinhos de orgulho e encantam os turistas. Por isso, quem vem a Florianópolis deve reservar alguns dias para aproveitar tudo que o lado sul da Ilha tem a oferecer.

FLORIPA: O QUE FAZER NO SUL DA ILHA DA MAGIA

Ilha do Campeche

Um paraíso de Mata Atlântica, águas cristalinas em azul turquesa, mar calmo e areia branca. Um cenário que lembra as famosas praias do Caribe, assim é a Ilha do Campeche, um Patrimônio Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico Natural, tombado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A ilha tem valor histórico, devido aos sítios arqueológicos e dezenas de inscrições rupestres. As pinturas ajudam a contar a história dos primeiros habitantes da região).

Há também grande valor ambiental. Inúmeras espécies de animais terrestres e aquáticos e plantas têm o lugar como berço. Por isso, a entrada na Ilha do Campeche é restrita e todo o tempo de permanência é monitorado. São permitidos até 800 visitantes por dia, e cada pessoa pode permanecer no local por até quatro horas. O acesso é feito de barco (há embarcações autorizadas saindo das praias da Armação, Barra da Lagoa e Campeche).

Para os mais aventureiros, é possível explorar a Ilha através das trilhas – sempre com a companhia de um guia autorizado – e fazer mergulhos. As águas cristalinas permitem a observação de peixes por até 10 metros de profundidade. Quem prefere relaxar e aproveitar a vista, há um restaurante no local, mas também é permitido (e recomendado) levar lanches e bebidas para consumo próprio. Sempre com o cuidado de levar embora o lixo produzido e ter atenção com os quatis, que se aproveitam da simpatia para roubar comida dos visitantes.

Parque Nacional da Lagoa do Peri

A Lagoa do Peri atrai famílias inteiras em todas as estações.  Oferece água morna e limpa – o lugar tem a certificação internacional Bandeira Azul, que atesta a qualidade da água e a sustentabilidade da gestão ambiental do Parque. É disputada por adultos e crianças durante o verão e tem local ótimo para fazer piquenique, soltar pipa e brincar no playground. Ainda, abriga o Projeto Lontra, onde é possível visitar os animais e conhecer um pouco mais sobre seus hábitos e a importância de preservar a espécie.

A Lagoa do Peri é o maior manancial de água potável da Ilha e sua reserva biológica possui um dos maiores e mais preservados trechos de Mata Atlântica do Sul do Brasil. Seus 5,2 km2 são tombados como Patrimônio Natural e abrigam espécies como lontras, macacos-prego, gralhas azuis e jacarés-de-papo-amarelo. O local tem, ainda, trilhas, como a que leva à cachoeira da Gurita, em uma das pontas opostas à entrada do parque. Esse trajeto reserva algumas surpresas.

Há pedaços de construções de antigos engenhos de farinha do século XVIII e a casa dos irmãos Israel e Osni, únicos moradores e uma espécie de guardiões da Gurita. Eles também são responsáveis por trazer de barco os visitantes que desejarem voltar pela Lagoa, explorando um dos visuais mais surpreendentes de Floripa.

Trilha da Lagoinha do Leste e Trilha de Naufragados

Diversão, muito contato com a natureza e belos cenários são as recompensas de quem se aventura pelas trilhas de Florianópolis. As três mais conhecidas do sul da Ilha são as que levam à praia da Lagoinha do Leste e à praia de Naufragados. Para a Lagoinha do Leste, é possível sair do Pântano do Sul e andar por cerca de uma hora e meia. Esse trecho é mais inclinado, mas é feito por mata fechada e é mais indicado para quem tem pouco preparo físico.

Para quem deseja mais aventura, tem a trilha que sai da praia do Matadeiro, com cerca de três horas de duração e alguns desafios, como pedras e desfiladeiros. A Lagoinha do Leste é a praia mais selvagem, preservada e paradisíaca de Florianópolis.

[Leia também: Uma viagem pela história dos principais pontos turísticos de Florianópolis]

Também paradisíaca é a praia dos Naufragados, na qual se chega em cerca de 45 minutos de caminhada por uma trilha razoavelmente fácil e muito bem sinalizada. Naufragados faz parte do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro e está em área de preservação. Uma das atrações do lugar é a Fortaleza de Araçatuba (no momento, fechada para visitação), que data do século XVIII, o Farol dos Naufragados e a bateria de canhões.

Tanto na Lagoinha do Leste quando em Naufragados, é possível chegar ou sair também de barcos, mas é preciso ficar atento, pois esse serviço nem sempre está disponível fora da temporada.

Fazendas de ostras e gastronomia no Ribeirão da Ilha

A gastronomia é elemento fundamental da cultura açoriana, e isso se reflete nas diferentes rotas gastronômicas de Florianópolis. No continente, há a rota de Coqueiros e Itaguaçu, ao norte, há a de Santo Antônio de Lisboa, por exemplo. A rota gastronômica do Ribeirão da Ilha se destaca não somente pelos sabores dos pratos à base de frutos do mar – especialmente das ostras, cultivadas na mesma praia –, como também pelo charme do casario da Freguesia.

São construções dos séculos XVII e XVIII, muitas estão na mesma família há duzentos anos. Dão indícios de como era a vida no segundo bairro colonizado em Nossa Senhora do Desterro (como se chamava Florianópolis durante o Brasil colonial), após a chegada dos portugueses.

Além desses lugares, há, obviamente, praias incríveis, como o Campeche, o Matadeiro, o Morro das Pedras, a Armação, o Pântano do Sul, os Açores e a Solidão, para citar as mais famosas. Cada uma dela com características próprias, mas todas preparadas para receber moradores e visitantes todos os dias do ano.

Faial Prime Suites reforça seu compromisso com clientes e funcionários para impulsionar o turismo de temporada e o turismo de eventos em Florianópolis

Nós, do Faial Prime Suites, temos como pilares de conduta a hospitalidade, o acolhimento e a empatia. Sabemos que o momento que estamos vivenciando é desafiador e exige, mais do que nunca, preocupação e zelo com clientes, funcionários, prestadores de serviços e parceiros. Por essa razão, estamos pautando nossas ações segundo as determinações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Prefeitura Municipal de Florianópolis (PMF). Por isso, acatamos as medidas necessárias para evitar o aumento da contaminação por coronavírus, como o fechamento da unidade e a suspensão das atividades de hospedagem e de alimentação até que a Prefeitura Municipal julgue seguro o retorno das atividades.

Também orientamos nossos colabores para que redobrem os cuidados pessoais, prezando pela higiene e pelo uso de máscaras caso precisem sair de suas casas. Esses esforços estão alinhados com a missão do Faial, de ajudar a promover o turismo de temporada e o turismo de evento em Florianópolis, oferecendo serviços de excelência, sempre priorizando o conforto, o bem-estar e a segurança os clientes.

SERVIÇOS DE EXCELÊNCIA: UMA MARCA REGISTRADA QUE AJUDA A FORTALECER O TURISMO DE FLORIANÓPOLIS

A história do Faial Prime Suites começa em 1979, quando o Hotel Faial iniciou suas atividades no Centro de Florianópolis. Surge como uma opção de hospedagem corporativa e para turistas que buscavam a região central da cidade pela localização e pela facilidade para acessar outros pontos da Ilha e do continente. Assim, em poucos anos, graças às acomodações amplas e modernas e aos serviços de excelência, o Faial logo se tornou referência em hospedagem em Florianópolis.  Sempre atento às necessidades dos clientes, às mudanças na cidade e às inovações tecnológicas.

Desde a criação do Faial, Florianópolis deixou de ter o turismo de temporada como principal atividade econômica e passou a ser parte importante do calendário de turismo de eventos do Brasil, mudança impulsionada, sobretudo, pelo surgimento e crescimento do polo tecnológico. Atualmente, responsável por grande parte das vagas de emprego e da geração de renda da capital catarinense. Essa mudança de cenário exigiu alguns esforços da diretoria do então Hotel Faial. Após reformas e readequações operacionais, surgiu o Faial Prime Suites, com um novo conceito, mais moderno e mais alinhado com a demanda do mercado.

Em pouco tempo, o Faial Prime Suites voltou a figurar no topo da hospedagem corporativa e de turismo da capital catarinense. O expressivo crescimento no cenário hoteleiro da cidade e os ótimos resultados no posicionamento de mercado renderam ao Faial alguns prêmios. Como o Prêmio Líderes LIDE de Santa Catarina e o Top de Marketing ADVB/SC, ambos na categoria "serviços, em 2018, e o Certificado de Excelência do Tripadvisor, em 2019. Ainda em 2019, recebeu o Prêmio Líderes LIDE de Santa Catarina, pelo segundo ano consecutivo, desta vez na categoria "turismo". Essas certificações e prêmios nos mostram que estamos no caminho certo e, por isso, seguimos agindo com responsabilidade e cautela, priorizando o bem-estar coletivo.